Depois da tempestade

18 04 2011

Depois do carnaval e das tragédias que aconteceram no litoral paranaense voltamos a visitar a brava de matinhos. No caminho para o litoral passamos pelas pontes destruídas e ficamos impressionados com a cenário de destruição e a quantidade de árvores que foram arrastadas pela enchurrada das chuvas.
Os planos de fazer bate-e-volta no litoral catarinense serão adiados, porque o tempo de viagem principalmente para descer a serra aumentou em 1 hora e o negócio será esperar a infraestrutura ser reestabelecida.

No mais, a cada seção de surf temos mais certeza de que é um esporte quase que espiritual. Em condições de poucas e pequenas ondas nos divertimos e renovamos a vontade de continuar surfando. Nas condições mais pedreiras de mar grande a superação e as rolagens subaquaticas sempre rendem boas risadas.
Em resumo, este esporte é ótimo para manter o corpo e a mente equilibrados.

Deixando os devaneios de lado, estamos iniciando mais pessoas no esporte, como nosso amigo Claudio que está se esforçando nas primeiras braçadas. Mas, precisa se planejar melhor porque ir de ressaca pro mar não rende.

o dia nublado virou uma ensolarada manhã de domingo

Também estamos com um pessoal que está lançando uma marca chamada SURFDAY que irá lançar alguns produtos no PR e SC ainda este ano aguardem.

Anúncios




Especial de verão

7 02 2011

Após milhares de e-mails nos questionando, por quê os posts pararam, concluímos que a preocupação com a nossas carreiras de atletas merecia uma satisfação. Pois bem, não desistimos, durante este início de temporada fizemos várias viagens solo e diversos picos dos estados do Paraná e Santa Catarina puderam receber o prestígio das nossas presenças. Como o objetivo é postar somente as experiências dos bate-voltas, somente agora conseguimos unir a moçada novamente.

Verão é bom, tem sol, praia cheia e o mar parece a praça Rui Barbosa no horário das 18. Quando a série é demorada parece aqueles pontos de ônibus onde todo mundo quer entrar junto. Mas, é bom lembrar que sem a roupa de borracha as remadas fluem soltas e a diversão é bem maior, afinal sempre conseguimos um avanço na técnica ou um conselho do amigo pra não errar mais.

Não conseguimos filmagens, nem fotos na agua mas, tivemos este registro da união e da alegria minutos antes de fazer a queda.





Vem chegando o verão…

24 11 2010

Nesse sábado 20 de novembro a praia de Matinhos foi o palco de um grande evento esportivo. A inauguração da nova prancha do Marcelo (Tosh)

E por falar em prancha, o Alex resolveu apresentar as crianças para o blog!

Como já era de se esperar, o “climatempo.com” manteve o percentual de acerto em suas previsões, sempre muito longe do que gostaríamos.
Como também já era de se esperar a surf trip teve uma baixa de última hora, dessa vez o desistente foi o Cassinho que foi carinhosamente apelidado de “mentirinha”.

A chegada em Matinhos foi tranqüila com uma rápida passagem na pani para o café da manha e logo estávamos na água testando a necessidade do sleeve que felizmente – a partir de agora – estará aposentado até a chegada do próximo inverno.

No banco de areia em frente ao edifício Pipe Line as ondas eram de meio metrão, pouco mexidas e puxando muito. Mesmo nessas condições adversas para a nossa qualidade de surf, a brincadeira se prolongou por umas 3 horas de muita teimosia.

O encerramento das atividades aquáticas é sempre um período de descontração marcado pelos “flashbacks” dos costumeiros caldos que rendem boas risadas.

Já na despedida do mar, paramos para um momento de absorção de calorias através de uma cerimônia muito antiga praticada inicialmente pelo povo inca e denominada “churros” (Até agora não conseguimos descobrir qual é a tradução dessa expressão para a língua portuguesa). A Dona Angela era a mestre de cerimônias que nos conduziu através desse ritual.

Enquanto apreciávamos um momento de tranqüilidade observamos um outro banco de areia localizado a uns 50 metros a esquerda da barraca da Dona Angela. Esse beach point estava com uma formação muito boa, abrindo paredes razoavelmente longas para a direita e esquerda. Além disso, a arrebentação estava mais perto da praia.

Por hora, temos duas certezas, a primeira é que no próximo bate e volta vamos nos aventurar no “churros point” e a segunda é que como diria a Marina Lima: “Vem chegando o verão…”

Obs1 – Esperamos ter fotos aquáticas no próximo relato.

Obs2 – Se alguém quiser participar do próximo bate e volta pode mandar um e-mail para surfway2010@gmail.com.

Abraços!





Setembro chove ?

27 09 2010

Setembro está chegando ao fim e não podíamos deixar o blog sem postagens, ou melhor não poderíamos passar o mês sem relatar nossa surftrips.
Pois bem, não houve nenhum bate-volta com a moçada aqui do blog, mas tivemos algumas descidas solitárias. Felipe desceu com a família para o Quilombo em Piçarras-SC no feriadão.

E eu desci com a família para Caiobá-PR, junto com o pessoal da Brazil Surf School e fui pela primeira vez para "as direitas" do pico de Matinhos.

É sobre esta descida que eu vou escrever neste post …

No pico de Matinhos, fomos recebidos por Maicon Rosa, ele e seu irmão Peterson assumiram o projeto em parceria com a prefeitura para ensinar e incentivar o esporte no litoral paranaense. Maicon explicou que através da escolinha estavam auxiliando a educar as crianças e a respeitar o próximo dentro da água. Com muita hulmildade e experiência, relatou que já esteve por 10 vezes no Havaí e indicou que todos os praticantes do esporte deveriam conhecer, pois a ilha possui vários picos de ondas pequenas com ótimas formações e ver os picos de big waves com os próprios olhos é uma experiência sem igual. Também nos contou sobre o preconceito que sofreu quando começou a treinar em outros estados e a experiência que teve em romper com as barreiras de preconceito contra o "haole" e a amizade que formou com os surfistas locais de lá. Segundo ele – e todos sabemos – o localismo não contribui em nada para o esporte e isso é um dos valores que ele estava passando na escolinha, todo surfista precisa respeitar o rodízio das ondas no pico e saber fazer amigos.

crowd_pr
Foi sem dúvida um dia especial, houve muita torcida e compreensão de todos, já que surfistas locais e aprendizes da escola lotaram o pico.

Todo o relato acima, também serve para justificar a amarelada do dia de hoje. Sim, estavamos pra descer hoje, mas a chuva de ontem estava tão desanimadora que mesmo acordando às 06:00 com a ligação do Felipe especulando mais uma vez senão desceríamos, desistimos.

Quem sabe durante o verão, para compensar estas amareladas, poderemos descer a noite usando novas tecnologias de prancha para o surf noturno.

O shaper californiano Bill Stewart acaba de lançar um novo protótipo de prancha de surf especial para o surf noturno.

http://vimeo.com/moogaloop.swf?clip_id=14159766&server=vimeo.com&show_title=1&show_byline=1&show_portrait=1&color=&fullscreen=1&autoplay=0&loop=0

postado por Alex.





Saídera de Agosto

28 08 2010

Poisé, durante o mês de agosto fizemos duas trips para o mesmo lugar, especificamente na brava em Matinhos no PR em um pico na frente do pipeline, onde tem um banquinho de areia bacana e que mesmo com poucas ondas, ou como diz o informante do waves: “marolas força barra”, rolaram ondas de 0,5 metro que resultaram em um bom treino.

Na primeira ida de agosto (07/08) os integrantes foram Alex, Felipe e o convidado Cassio, que utilizando a desculpa devido a poucas ondas, economizou o surfe e foi só acompanhar.

Já na segunda ida (28/08), a participação alto astral do nosso amigo Marcelo TOSH que nos manteve fiéis ao cronograma, mesmo com o meu atraso devido a inesperada desistencia do integrante Rafael.

O desafiador bate-volta foi corrido:
06:30 atraso mais que comum do Alex
07:00 na estrada guiados pelo tranquilo Tosh
08:30 estavamos dentro da água
11:00 de volta para estrada
12:00 em casa almoçando com familiares.

As fotos abaixo mostram que mesmo com o tempo ruim e a água bem gelada, a diversão foi garantida.

E com nosso novo equipamento a prova de água, conseguimos registrar uma pequena demonstração das habilidades adquiridas:

postado por Alex.





Gelaaaaaaaaaada !

17 07 2010

Bem, amigos, infelizmente a surftrip planejada para este final de semana foi replanejada, mas não pensem que foi devido a compromissos mais importantes, pois estamos numa fissura pra cair da na água.

O que aconteceu é que o inverno gelado e com um “sol amigo” já era, este final de semana as temperaturas ficaram abaixo dos 10 C e mesmo com a previsão de altas ondas no litoral paranaense decidimos sabiamente em adiar o surf para o próximo final de semana.

O inverno tem suas vantagens para o surf, afinal a crowd é quase inexistente e quando existe é bem mais amigável. Acho que existe uma cumplicidade e um companheirismo por estar enfrentando a água dura e gelada dos dias de inverno. Também não há a concorrência de banhistas pegando jacarés e é possível aproveitas as ondinhas rasas.
Podemos listar diversas vantagens, mas se não tiver o sol que é o item fundamental no inverno, pra quando estiver no outside esperando aquela série, as vezes bem demorada, a roupa possa absorver e abastecer o calor.
É isso aí, pra este final de semana só restou adiantar o trabalho e esperar que o tempo melhore para não entrar na mesma gelada do pessoal aí das fotos.

postado por Alex





Cronolonogia de um bate-volta

5 07 2010

 06h00min – Madruga de domingo feira, na mochila bermuda, camiseta, toalha, parafina e uma forte torcida para o site do “clima tempo” cumprir suas promessas. 

 

 

 

06h30min – O Alex chega com mais cara de sono que eu. Pranchas teoricamente bem amarradas, dupla a postos e vamos pra estrada com destino a famosa Caiobá, um beach point com ondas incríveis para surfistas da nossa “catigoria”.

 7h00min – Na estrada um visual incrível pra ajudar acordar.

                                                                                                                                                                                                                                   08h00min – Chegada em Caiobá e depois de uma rápida avaliação do mar resolvemos dar um pulo em Matinhos para tentar a sorte nas direitas. Matinhos  flat, fomos até a piscina do balneário de Gaivotas e acabamos voltando para a parada inicial em Caiobá mesmo que nesse momento parecia ser a melhor escolha.

08h30min – Um breve alongamento na areia (lembrando a laboral da empresa) e vamos pra água.  Por sorte descobrimos um banco de areia que melhorava a formação das ondas de pouco mais de *1 pé.

*1 pé  = tamanho de onda bastante apropriado para nossas qualificações.

                                                                                                                                                                                                                                      08h35min até 10h20min – Muitas braçadas, diversas quedas e poucos motivos de orgulho, porém com boas risadas. (Infelizmente ou felizmente não tinhamos um fotógrafo na areia para registrar esses momentos)

10h30min – Saída da água, revisão dos melhores momentos do surf que sempre ocasiona novas  boas risadas até porque os melhores momentos do surf são seqüências de imagens que ganhariam fácil qualquer campeonato de “vídeo cacetadas”. Preparação para retorno e um breve momento de contemplação da paisagem.

 10h45min até 12h00min – Estrada, pedágio, sono e fome, muita fome.

12h15min – Cansaço toma conta, mas a paz e tranqüilidade de espírito de uma surftrip harmonizando com a natureza é mais forte. Maravilha de domingo!